METODOLOGIA

A metodologia do Curso de Formação em Pedagogia Griô segue um modelo espiral de construção do conhecimento. No centro dessa espiral está a identidade de cada participante, onde a disposição para um mergulho vivencial na ancestralidade e nas tradições é o fio condutor para o estudo do currículo referencial da Pedagogia Griô, integrando o conhecimento tradicional e oral ao acervo científico publicado.

O Modelo de Ação Pedagógica proposto pela Pedagogia Griô será devidamente vivenciado e refletido durante o curso, caracterizado por processos e práticas de encantamento, vivência, diálogo e produção partilhada do conhecimento.

A Pedagogia Griô reconhece três perfis de atuação para contribuir com o projeto político-pedagógico de escolas e comunidades: o(a) mestre(a) griô, o educador griô e o griô aprendiz. Durante o curso, o participante escolhe entre o caminho do griô aprendiz ou educador griô, e aprendem a trabalhar com o Modelo de Ação Pedagógica.

Perfil do Griô Aprendiz:
“Pessoa encantada com a figura do caminhante, viajante, cantador e contador de histórias, que busca iniciação em alguma tradição e vínculo com algum mestre e comunidade de tradição oral. Experiência em mediação social e política, com facilidade de transmitir a sabedoria da tradição oral através da arte e da magia do poder da palavra. Geralmente dedicado a História, Antropologia, Artes Cênicas, Comunicação e ou áreas afins, mediador entre os saberes da tradição oral e o ensino formal.” ¹

Perfil do Educador Griô:
“Pessoa que questiona a missão de educar e o sistema educacional hegemônico, que sentem a necessidade de reinventar os currículos e a metodologia de sala de aula para fortalecer o vínculo entre escola e comunidade. Reconhecem a importância da afetividade, criatividade e cultura na educação. Agente social ou cultural em escola, associações ou grupos culturais.” ¹

Perfil do Mestre Griô:
“Pessoa mais velha, com história de vida de tradição oral, identificada com a figura de sábi@ e de mestr@. Reconhecido na comunidade como líder de grupo cultural ou líder espiritual. Possui a sabedoria de cura ou de iniciação para a vida, como parteira, erveira, rezadeira, curador, pai e mãe de santo, pajé. Conhecedores ou fazedores de conhecimentos de um ramo tradicional em artes e ofícios diversos, relacionados às ciências da vida e repassados pela oralidade, como tecelão, pescadores, agricultores, produtores de farinha, rendeiras, luthiers, baiana do acarajé, quitandeira, etc.” ¹

¹ PACHECO, Líllian. Pedagogia Griô: a reinvenção da roda da vida.